É preciso acreditar…   3 comments

Bom meus amigos, quero tocar em um assunto que acredito que não agradará a muitos fãs das conspirações. Acredito que não será muito agradável por que já gostei muito desse tema, sendo assim se alguém quizesse me convencer que orar era bem mais produtivo que tentar desmascarar a elite mundial e jogá-la na internet, eu me sentiria incomodado com certeza.

O que as pessoas precisam ter em mente é, que independente das ações humanas, existe uma lei universal chamada Lei do Progresso e da Evolução. Essa lei como diversas outras limitam o poder criador e destrutivo de nós criaturas sem muita noção de quem somos e do que somos capazes. Estamos todos sob o julgo justo dessa lei que determina sem chance de recorrer da decisão que o Progresso e a Evolução de toda e qualquer espécie de vida existente no cósmos é impulsionada sempre para frente, melhorando-a, ensinando-a, conscientizando-a enfim, evoluido em todos os sentidos. Onde o tempo não existe não há pressa para que qualquer processo seja agilizado. Tomem como exemplo a futura ascenção do planeta Terra para patamares vibratórios e dimencionais mais elevados. Apesar de toda estupidez humana essas mudanças ocorrerão, queiramos ou não. É desta forma que funciona o mecanismo evolutivo universal. Temos o nosso tempo para fazer as mudanças necessárias, caso isso não ocorra, elas ocorrem por sí só, dando continuidade a um processo maior e incessante de evolução cósmica. Em outras palavras, não adianta o ser humano se comportar como adolescente mimado e sem noção por que a maturidade chegará gostando ou não. Ou procuramos meios de amadurecer por méritos próprios, sem dor nem sofrimento, ou as leis universais que régem a vida em todos os seus níveis de existência, nos colocam em “maus lençóis ” para que através da dor, do sofrimento e da expiação aprendamos as lições necessárias, aquelas que nos recusamos terminantemente em aceitar. Espero que esse ponto tenha ficado bem claro.
Promoveram-se mudanças a nossa revelia, porém nossa infinita arrogância nos atribui a autoria delas todas.
– passamos da alquimía a química

– do universo geocêntrico para o heliocêntrico

– das crenças que demônios causavam doenças a medicina moderna

– de Darwin a física quântica

– da medicina puramente clínica (corporal, orgânica, biológica) para uma convergência com a espiritualidade

– de mitos que a ciência medicinal ainda não conseguiram responder; a associação de enfermidades físicas com disfunções e desequilíbrios psico-somáticos. Em outras palavras, imperfeições do espirito refletidas no corpo físico. (Essa última ainda engatinhando mas, já dando seus primeiros passos em direção a um novo patamar de conhecimento).

…etc.

Essas mudanças todas, toda essa evolução do conhecimento, da tecnologia, na medicina nas ciências de forma geral são infinitas, e por mais que atribuamo-as ao nossos rompantes de genialidade, somos apenas seus portadores temporários, as ferramentas para que tudo ocorra conforme os desígnios das esferas superiores. Ao contrário daquilo que pensamos essa evolução nos é obrigatória – no mais belo sentido da palavra, do ensinamento necessário – nada é de nossa autoria , ou seja, queiramos ou não, evoluimos em todos os sentidos. Podemos com nossa teimosia absurda retardar esse processo porém, pará-lo jamais.

Esse é o caminho que nos é imposto, o caminho contínuo do progresso e da evolução.
Se passarmos a discutir os pilares de sustentação de nossa sociedade atual, notaremos que existem diversos pontos deteriorados, comprometendo a estrutura por completo. Os sistemas econômico, sócio-político, religioso, filosófico são parte de um conhecimento já ineficaz, que outrora serviu como os pilares, as bases para que pudéssemos construir uma sociedade mais justa e igualitária em todos os sentidos. Óbvio que não foi isso que ocorreu, criamos uma sociedade injusta, desigual que tortura seus cidadãos e os força a uma vida triste e sem sentido algum. Utilizamos do nosso livre arbítrio para transformar todo o conhecimento que nos foi emprestado temporariamente em benefício de meia dúzia de pessoas. Na contra-mão da evolução negligenciamos a interação harmônica com a natureza, a espiritualidade, a igualdade dos seres e das espécies, uma irmandade cósmica e a criação superior. Como consequência natural, com base na Lei de Causa e Efeito, cavamos a nossa própria cova, nos colocamos em uma prisão e jogamos a chave fora, nos tornamos nosso juiz nos sentenciando ao sofrimento, e como carrasco de nós mesmos, executamos a ordem do juiz. Resumindo, por vontade própria e por falta de uma consciência mais elevada elegemos o sofrimento e a expiação como nossos únicos professores.

Vejo o quão em vão são as discuções que se amontoam aos milhões pela internet disperdiçando energia e tempo decidindo quem é culpado disso, culpado daquilo, quem fez isso ou aquilo. Infinitas interrogações gerando indignação e ódio. A mesma falta de compreenção que criou esse sistema falho e condenado, é utilizada para discutir seus maiores fantasmas. A humanidade se recusando a enxergar o óbvio, preferindo filosofar e teorizar ao invéz de promover as mudanças íntimas necessárias em cada indivíduo enquanto espírito encarnado.

Apesar das indagações legítimas e coerentes de alguns pensadores, filósofos e cientistas apontando para um caos externo, tendo como origem em um desequilíbrio interno individual, se tornando assim um problema coletivo, nos recusamos a tratar os males que abarrotam nossa sociedade atravéz da correção de nossas inclinações negativas e nossos desvios de caráter. Ao invés disso, demos preferência para o elétro-choque e mais recentemente as pílulas que prometem verdadeiros milagres. Não percebemos ainda que as mudanças externas dependem única e exclusivamente de mudanças profundas em nosso íntimo espiritual. Para nós, males físicos, biológicos, mentais e pscológicos são a causa para tudo aquilo que repudiamos na humanidade, mas, excluimos a verdadeira causa, a causa primeira e única, a consciência espiritual mal formada, mal disciplinada e mal educada. Nosso íntimo mal formado, contribui diretamente para uma coletividade caótica e enferma, sendo assim, como não somos responsáveis? Somos sim, só não aceitamos esse fato e não chamamos a responsabilidade para nós por falta de caráter, de uma consciencia espiritual mais elevada. A falta do auto-conhecimento nos cega para essa questão que na minha opinião é primordial. Para solucionar os maiores problemas que assolam a humanidade, o auto-conhecimento, o conhecimento de si mesmo, de quem somos e do que somos capazes, com certeza seria o ponto de partida. Após isso, tudo ficaria muito mais fácil.

Enquanto adormecidos e cegos pela névoa da falta do conhecimento espiritual superior, tendemos a criar e recriar os mesmos problemas incessantemente, as mesmas barreiras que nos atrapalham tanto a própria evolução. Não há saída se não a busca por um caminho sugerido pela própria vida, o mesmo caminho que nos recusamos a aceitar, lá em nossos primórdios, aquele em que devemos aceitar que a batuta que rege a orquestra da vida, em todo o cosmos, em todos os seus mais diferentes níveis de existência, nos guiam sempre para frente, sempre para os caminhos do melhoramento pessoal, interno, espiritual, não menos difícil, mas necessário. Se esquecermos que somos tudo que existe e que, tudo que existe é parte de nós mesmos, perderemos a capacidade de resolver os problemas oriundos de nossas próprias imperfeições. Atribuindo esses problemas a fatores externos, tornamo-os insolúveis, caindo assim, novamente, na roda da criação e recriação infinita de uma ilusão, na ilusão de que não somos responsáveis por nada, quando na verdade, somos os atores principais desse teatro chamado vida.

*Caso você esteja indignado com muitas coisas que acontecem mundo a fora e que são atribuidos a um indivíduo ou mais, ou a um sistema, saiba que você está errado, disperdiçando seu tempo e sua energia, gerando ódio (ódios sgnifica emanação de energia negativa, contribuindo negativamente para o todo) quando na verdade você tambem é culpado, se tornando cada vez mais protagonista a medida que plorifera tais erros arrastando inúmeros outros indivíduos a sentirem e emanarem em nível vibratório equivalente ao seu.

Muito se fala da capacidade do ser humano de interagir com seu meio, criando e recriando através dos pensamentos, do desejo e das intenções porém, pouco se faz na prática já que o invéz de utilizar esse conhecimento para modificar os erros cometidos, agravam ainda mais a situação que não é das melhores, cultivando o ódio, o despreso, a indgnação o desamor,(…).

Pense a partir de agora o que você está fazendo para modificar aquilo que consideras um absurdo, inaceitável. Está fazendo as mudanças íntimas necessárias, já que és tu, o co-autor de tudo que existe a sua volta, ou está contribuindo para que o problema se perpetue?……….pense nisso.

autor:  ACrivelli

Anúncios

Publicado 18 de agosto de 2010 por acrivelli em pelo autor

3 Respostas para “É preciso acreditar…

Assinar os comentários com RSS.

  1. Tem muitas verdades em seu texto, parabéns…

  2. Posso copiar seu texto adriano?
    E muito bom saber q ainda existem pessias com a sua visao e sensibilidade, parabens!

  3. Muito bom parabens e obrigado…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: